Dois dias e meio em Curitiba

Curitiba

Nosso roteiro de dois dias e meio em Curitiba!

Em julho de 2016, como eu disse nesse post sobre o Jardim Botânico, pegamos um ônibus e partimos explorar Curitiba! Viajamos durante a noite, seis horas de sono inquieto depois, amanhecemos na rodoviária com os termômetros marcando 7º C.

Dia 1: Nossa primeira parada foi o hotel, para deixar as malas. Em seguida demos uma passadinha rápida pelo mercado municipal, que ainda estava abrindo, e seguimos para o Jardim Botânico.

  • Jardim Botânico: Passamos a manhã do primeiro dia conhecendo o famoso Jardim Botânico. A entrada é grátis. Chegamos cedo, mas pouco tempo depois já estava lotado de turistas. Fiquei encantada com as cerejeiras, a estufa de vidro e toda a natureza. O lugar é bem grande, tem um lago, trilhas, jardim de sensações, ponte e uma loja onde é possível comprar plantas e sementes. Uma manhã foi um tempo ok pra ver quase tudo por lá e fotografar bastante.
    Jardim Botânico de Curitiba
    Jardim Botânico de Curitiba
  • Centro da cidade: almoçamos perto do Mercado Municipal, andamos pelo centro pra ver as ruazinhas e prédios e tomamos um café no Sesc do Paço da Liberdade, um prédio lindo! Recomendo!
    Paço da Liberdade
    Paço da Liberdade
  • Museu Oscar Niemeyer (MON): Passamos o final da tarde vendo as obras do Museu. A entrada custa R$12,00  (inteira). Lá é enorme e tem muuuita coisa! As duas horas que ficamos não foram suficientes pra ver tudo. É visita obrigatória pra quem for pra Curitiba!
    Museu Oscar Niemeyer
    Museu Oscar Niemeyer

Dia 2: No segundo dia pegamos a Linha Turismo no ponto em frente ao Museu Rodoviário, que era próximo ao nosso hotel. Essa linha funciona assim: roda os principais pontos turísticos da cidade, passando um ônibus a cada trinta minutos. Ao entrar no ônibus a gente paga a passagem que dá direito a cinco vouchers, cada vez que entramos no ônibus, gastamos um. Ou seja, podemos descer 4 vezes durante o tour para ver melhor o ponto turístico e depois pegar outro ônibus sem pagar novamente, apenas usando os vouchers. Pagamos R$45,00 por pessoa. Os pontos que escolhemos descer foram:

Nós no ônibus da Linha Turismo.
Nós no ônibus da Linha Turismo
  • Bosque do Papa: Se eu soubesse que ele era TÃO perto do MON, eu teria ido no dia anterior. Sério, dá pra ir a pé, 5 minutos. Lá é um bosque bem gracinha, de livre circulação, com “casinhas” fofas. Cada casinha dessas tem um altar religioso dentro e não é permitido ir na janela pra fotos. Tem um pequena trilha também. Vale a pena conhecer!
    Bosque do Papa
    Bosque do Papa
  • Ópera de Arame: Pra mim foi uma decepção! Fomos por ser um ponto muito famoso, mas é um teatro: arquibancada, palco e quase mais nada pra ver. A arquitetura realmente é bonita, mas fica lotadaço de turistas, não dá nem pra tirar uma foto decente. Em 10 minutos já tínhamos visto tudo! Recomendo talvez ir a um show lá, que deve ser bem mais divertido do que visitar assim.
    Ópera de Arame
    Ópera de Arame
  • Parque Tanguá: Um parque gigantesco, com uma vista incrível! Pena que não tínhamos muito tempo pra explorar o lugar. Tomamos um lanche admirando a paisagem. Lá tem trilhas, mas já estávamos cansados, então ficamos apenas na parte de cima. Um lugar que com certeza eu voltaria com mais tempo, pra conhecer inteiro.Valeu super a parada!
    Parque Tanguá
    Parque Tanguá
  • Torre Panorâmica: Outra decepção. Pagamos R$5,00 cada um, para entrar e subir. Tem um pequeno museu do telefone na parte de baixo. O elevador sobe com um número limitado de pessoas, então a fila estava gigantesca, demorou mais de uma hora pra gente conseguir subir. A vista é bonita, mas as janelas refletiam nas fotos. Dez minutos e já tínhamos visto todos os lados. Pra mim, não valeu a pena tanta espera.
    Torre Panorâmica
    Torre Panorâmica

Nesse mesmo dia, após finalizarmos o tour, aproveitamos pra conhecer o Bar do Alemão a noite. Lá um lugar bem legal, grande, com cerveja gelada e comida boa. Uma delícia!

Aperitivo que pedimos no bar do Alemão.
Aperitivo que pedimos no Bar do Alemão.

Dia 3: Como só tínhamos metade do dia pra aproveitar ficamos ” de boa” na:

  • Praça do Japão: Uma pracinha super fofa! Fomos lá pelas cerejeiras, que estavam lindas! Ficamos sentados na grama vendo o movimento e tirando fotos. Lugar bem tranquilo.
    Praça do Japão em Curitiba
    Praça do Japão

Bom, essa foi nossa experiência em um viagem rápida por Curitiba. Lembrando que pegamos um fim de semana em alta temporada, talvez por isso o excesso de turistas nos lugares. Espero um dia voltar pra conhecer mais dessa cidade!

Qualquer dúvida, só deixar nos comentários!

Enjoy!